Translate

sábado, 15 de dezembro de 2012

Quereria que chovesse amor


















Fotografia: O.Heinze


Quereria que chovesse amor / por O.Heinze

Vivo uma solidão doída.
Vasculho em minha escuridão
uma urgência de amor.
Fora de mim há luz
num dia silencioso.
Uma orquestra de folhas
das árvores a bailar
toca uma sinfonia calma
prenunciando o chover.
Quereria que chovesse amor.
O amor deveria ser fácil
feito assim chupar bala
enquanto se sonha
com o olhar perdido no bem.
Minha vida está passando.
Quanto mais ela passa
mais e mais eu amo
mais quero ser amado.
Quando eu era bem jovem
imaginava que os idosos
não tinham tempo para amar
pois usavam todo seu tempo
lembrando suas aventuras de amor.
Espero nunca deixar de amar
porque viver sem amor é morrer.
Pobre morte triste e obscura
és assim tão somente porque
do amor não conheces a alvura.





2 comentários:

Corina. disse...

Lindo meu amigo..nossa parabéns!!!
Triste mas real..
bju

Osvaldo Heinze disse...

Oi Corina!
E eu que pensei ser um pouco exagerado, mas se você aprova, ah... Então tudo está certo. Obrigado!
Bjs!