Translate

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Para onde vão as flores mortas / por O.Heinze

















Bem sei da morte da flor:
quanto suas cores descolorem;
caem as pétalas uma a uma;
espalha o pólen ao vento;
seu caule fica vazio.

Mas o que aguça minha curiosidade é:
para onde vai sua essência,
essa força de inebriante fragrância,
que em respirando quase prevejo
o verdadeiro formato da flor?!

Não esse corriqueiro, tão já sabido,
mas essa forma indizível de luz,
que mora nos confins do desconhecido
e me é lenitivo para a alma,
fazendo-me crer que o bem existe.

Que poder é esse, flor abençoada,
que ao cheira-la me roubas daqui,
mantendo-me voando leve, livre,
pois que teu existir corre docemente
por meus pulmões, coração e mente,
quase me revelando o mundo
aonde vive essa tua alma
de plenitude e eternidade.

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Crisálida/ por O.Heinze






fotografia de O.Heinze 
Resedás em meu quintal









Todas as noites
uma força chamada sono
me envolve e me desfalece.
E indefeso, sinto-me numa metamorfose
ficando alheio à tudo deste mundo.
E dentro deste tipo de crisálida
viajo para tantos lugares
a uma velocidade inimaginável.
Encontro pessoas e bichos;
mar, rio, neve, fogo;
caminhos improváveis, espaço;
morro sem morrer, choro;
vivo sem viver, gargalho...
Igual se fosse um lepidóptero, voo
ou sem um chão, despenco em abismo.
Num sobressalto, meio aqui, meio lá
caio em meu leito assustado...
Depois de um tempo volto a sonhar
ou ter pesadelos dos mais bizarros.
Pela manhã desperto neste mundo
vou me desamarrotando lentamente
mas não sendo contemplado
sigo assim: humano sem asas...
Visto uma cor própria para o dia.
São raras as flores em meu caminho
na maior parte, ervas daninhas
sem perfume, cor, simpatia.
Pobre jardim miserável este
tanta Terra e tão pouca doçura.
Por isso é raro uma borboleta
pousar em um ser humano:
nos falta iluminar a aura
desabrochar livremente
se doar por amor
e despetalar feliz...

domingo, 10 de setembro de 2017

Se há espinhos também há flores / por O.Heinze

Antes do frutificar
é preciso ser flor
ter cor, perfume, forma
doação de beleza...
É um processo complexo
de crescimento e maturação
até ser formado
o fruto inteiro.

E quem diria...
Das sementes cuspidas
nascem árvores minúsculas
que se aprofundam
neste mundo, nesta vida
tentando também dar flores
serem geradoras de frutos...

Quando eu era adolescente
pensava ser uma erva daninha
meus hormônios me enganavam
eu nem me via, assim, árvore.
Depois desenvolvi, enraizei
e me senti em uma selva
com todo tipo de árvores:
umas tem tantos espinhos
não se pode nem encostar;
outras sustentam ninhos
e assentos de balançar...

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Borboletas e poesia / por O.Heinze

Quando em mim você chegou
haviam flores, sol tomando o dia.
Eras enfim, borboleta ou poesia?
eras perfume que o ar tomou.

Levaste-me por um sonho encantado
em volteios iguais os de bailar
voamos eu e tu dentro do olhar
e pousamos no beijo selado.

Esse encontro pareceu mais breve
que o cair de uma folha ao chão
deixando em meu coração
uma saudade pesada e leve.

Borboletas e poesia não tem dono
minha borboleta virou poesia
e a poesia deixou o meu dia
mas retornou em meu sono.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Xis da questão / por O.Heinze

Bem que eu quereria
que o mar só fosse calmaria
com vagas azuis, verde esmeralda
mas qual, oh doce calda
sinto que tudo é quimeras.
Os ares não são só da brisa
estamos entre anjos e feras!
E eis que a sorte agoniza:
jardins não são só primavera
e os sonhos... Utopia?
Não posso crer no dia
que cores não aconteçam;
os pássaros emudeçam;
os olhos não mereçam
um sorriso gratuito?!
Não adianta lutar muito
guerrear não faz se salvar
apenas ferir mais a tudo
fazendo bem grave, agudo
o sofrer a se rasgar.
Nos estertores da morte
quem sente mais dor?
A formiga ou o elefante?
O homem ou a mulher?
O feio ou o galante?
E quem seria mais importante
para o equilíbrio do mundo?
O rico ou o moribundo?
O caos ou a paz?
Infelizmente acho
que o mundo se perdeu
se tornou um capacho
do capricho meu e teu!

Santo André, 24/05/2017.

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Miniatura de piano que montei:








Eu ganhei essa miniatura de minha filha (de coração) Grace, lá dos E.U.A, quando ela esteve aqui em visita.


domingo, 2 de abril de 2017

Com todo o meu amor / por O.Heinze





Planta Amor-agarradinho
Foto de O.Heinze










Quero muito homenagear
a singela flor a se doar;
subindo da terra, desconhecida,
em forma de energia de vida,
à ponteira da rama balançante,
transformar-se em um botão galante;
a abrir-se ao céu em flor,
feito o mais doce anjo do amor;
e do alto da sua leveza libertada,
se apiedar da nossa pesada caminhada;
caindo em pétalas para o chão forrar,
formando um tapete macio de se pisar;
deixando de si apenas lembranças:
sua formosura; vida pura;
fragrância de fazer esperança.

sábado, 18 de março de 2017

Uma das minhas namoradas / por O.Heinze

Ao lado da entrada da escola
ela me esperava plantada
junto a um jardim bem cuidado
num dia de sol escancarado.

Ao nos olharmos de longe
nem sei quem sorria mais
se ela na sua resplandecência
ou eu na minha eterna carência.

Acho que fui ansioso demais
pois a arranquei dali depressa
levando-a ao peito, à avessa
tudo acontecia anormal
eu sentia que lhe roubava.
Coloquei-a em meu carro
mas ela mal suspirava.

Ela não era perfumada
mas tinha um cheiro de amor
a pele aveludada, amarelada
nem oriental, nem nada
apenas uma rama encantada
de Allamanda em flor.

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Carta sem data


Carta sem data / por O.Heinze

O céu nem sabia que estava lindo,
inteiro azul, um azul infindo..
E com ele só um avião de papel,
indo e indo por todo aquele léu...
Movido por uma mente de criança,
levando a energia da bonança...
Ah... Quanta coisa cabe no interior
de um aviãozinho de papel sem cor.
Na sua alvura de nuvem leva sonhos
e mais sonhos... Críveis, ricos e risonhos...
Um céu azul assim pode ser eterno?
E um avião de folha de caderno?
Sim! São para sempre em qualquer estação,
idade, horário, lugar, condição...
Sei que esta carta parece bobagem,
voando neste avião sem bagagem,
seguindo por este céu sem parar,
sem desistir de algo feito de sonhar...
Mas... Este avião que jamais se cansa,
vai indo feliz no céu da esperança...








Créditos da fotografia para: 
http://www.ehow.com.br/construir-aviao-papel-elastico-como_34366/

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

5° VIRINE DE ARTE DE SÃO CAETANO DO SUL - SP

                                              Participando com minha escultura REFLORA.

                                                            Acima meu Filho Rafael.



                                                                       A Abertura.
                                               Algumas palavras da Direção da Pinacoteca.


                                                           Minha grande Amiga Ana.

                                             Meu Grande Amigo Henrique Santoro (Junior).
                            A Pinacoteca de São Caetano do Sul. 76 artista somando 130 obras.